Futuro dono do Galo vai pagar todas as dívidas do clube?

O Atlético enfrenta temporada extremamente sonhada ao lado da Massa Atleticana, contando os dias para finalmente inaugurar sua nova casa, a Arena MRV. Além disso, possui um dos elencos mais valiosos do Brasil e não deseja terminar o ano sem um título de expressão. No entanto, o Galo ainda enfrenta uma realidade completamente distinta, levando em consideração a conturbada situação financeira.

Considerando o balanço financeiro de 2022, a dívida do Galo alcança cerca de R$ 1,7 bilhão, sem contar o endividamento para finalizar a construção da nova Arena MRV, avaliado em R$ 440 milhões. o estádio está registrado em outro CNPJ, por isso, os números são apresentados de maneira separada. Para a Massa, a questão das dívidas nunca deixou de ser uma preocupação.

Após aderir à Lei da SAF ainda em 2022, o Galo vem analisando as melhores propostas para definir finalmente um comprador. Aparentemente, a negocia avança com o empresário Peter Grieve, que pretende captar dinheiro no mercado para garantir a administração do clube-empresa. O objetivo é ter cerca de 51% e 55% das ações, além de assumir a dívida onerosa no curto prazo.

Atlético tenta agilizar processo da SAF

A maior dificuldade do clube é controlar os números que envolvem juros, gerando atraso em questão de crescimento, além de impossibilitar investimentos no futebol. Ainda não há grandes informações sobre o desenrolar das negociações, algo que demonstra certa ansiedade da torcida, até mesmo dentro dos gramados, gerando preocupação sobre o futuro. A SAF ainda divide opiniões no Brasil.

No início, o Atlético considerava não incluir bens como a Arena MRV e a Cidade do Galo nas negociações, no entanto, com a atualização da dívida, parece inevitável acrescentar os valores, pensando em seu benefício. A diretoria pode desenrolar a decisão nos próximos dias, já que não há grandes soluções para os problemas no setor financeiro.

Comentários estão fechados.