História completa do Clube Atlético Mineiro

0

O Atlético Mineiro foi fundado em 25 de março de 1908, o clube tem sua história confundida com a de Belo Horizonte. Os fundadores do Galo eram estudantes que queriam praticar o futebol no Brasil, um esporte ainda muito elitizado no país e então se reuniram no Parque Municipal para fundar um clube que tinha como princípio popularizar o esporte.

Embora tenha sido fundado em 1908, a primeira partida aconteceu somente em 21 de março de 1909, contra o Sport Club Futebol. O primeiro gol da história do clube foi marcado por Aníbal Machado, que posteriormente se tornaria um renomado escritor brasileiro, a estreia foi com uma vitória por 3×0.

O Sport pediu revanche e acabou mais uma ver derrotado, dessa vez por 2×0. Na terceira partida entre os clubes outra vitória atleticana, 4×0 para o alvinegro. Depois dessa série de derrotas, o Sport fechou as portas.

Primeira taça, duelos com o Cruzeiro e jogador convocado

O pioneirismo do Galo vem desde sua fundação, o clube foi o primeiro a usar bolas de couro em Belo Horizonte. Em 1914 o Atlético conquistou o primeiro torneio de futebol do Estado de Minas Gerais, a Taça Bueno Brandão.

No ano seguinte outra conquista inédita: o primeiro Campeonato Mineiro também foi do Atlético! Além disso, o clube também foi o primeiro de Minas Gerais a aceitar negros em seu time, diferentemente do América, que só aceitava membros da elite mineira e do Palestra, que só aceitava imigrantes italianos.

O primeiro confronto com o grande rival Cruzeiro, a época Palestra Itália, foi em 1921 e o Atlético acabou derrotado por 3×0. Apesar disso, no confronto direto entre os clubes há uma ampla vantagem alvinegra. A maior goleada do clássico também é do Galo, em 1927 o alvinegro goleou o Palestra por 9×2. Os gols do Atlético na partida foram marcados por Said, Jairo e Mario de Castro, trio que ficou conhecido em Belo Horizonte como o Trio Maldito, por aterrorizar os adversários com seus gols.

Mario de Castro inclusive foi o primeiro atleta fora do eixo Rio-São Paulo a ser convocado para defender a Seleção Brasileira, em 1929. Apesar disso, o atacante declinou o convite afirmando que não iria para Seleção para ser reserva. Também em 1929 o Galo inaugurou o Estádio Antonio Carlos, a inauguração do campo foi na vitória por 4×2 sobre o Corinthians. Em 1930 o então presidente da FIFA Jules Rimet visitou as instalações do estádio.

Primeiro título nacional do Atlético

Em 1937 o Atlético conquistou seu primeiro título nacional: o Torneio dos Campeões dos Campeões do Brasil. Foi um primeiro esboço de competição nacional, o torneio contava com os campeões do Rio de Janeiro, Espírito Santo e São Paulo.

A década 40 também foi muito boa para o clube, que afirmou seu domínio no estado conquistando os Campeonatos Mineiros de 1941, 1942, 1946, 1947, 1949 e 1950. A equipe que dominou o estado naquela época contava com grandes nomes como o goleiro Kafunga e os atacantes Lucas Miranda, Carlyle, Nívio e Lêro. Durante muito tempo esse foi considerado uma das melhores equipes do Atlético de todos os tempos.

O antigo goleiro Kafunga. Foto: Globo

Décadas de 1950 e 1960

No ano de 1950 o Galo foi pioneiro mais uma vez ao se tornar o primeiro clube brasileiro a excursionar pela Europa. Com um país abalado pela derrota na Copa do Mundo de 1950, o Atlético deu show em gramados cobertos de neve e ajudou a recuperar o orgulho do futebol brasileiro.

Embora não tenha ganho nenhum troféu pela excursão, a época os jogadores foram recebidos como heróis em Belo Horizonte e foram nomeados como Campeões do Gelo. Além disso, o Atlético mais uma vez dominou o futebol em Minas conquistando os títulos estaduais de 1952, 1953, 1954, 1955 e 1956.

A década de 60 foi complicada para o Alvinegro, que viu o Cruzeiro brilhar com uma equipe comandada por Dirceu Lopes, Piazza e Tostão. Mesmo assim, conquistou o Mineiro em 1962 e 1963. Em 1969 o Atlético derrotou a Seleção Brasileira, o clube foi convidado para representar a Seleção do Estado de Minas Gerais e derrotou o esquadrão que seria campeão do mundo por 2×1 no Mineirão.

Novas glórias para o Atlético Mineiro nos anos 70

Se os anos 60 foram complicados para o Atlético, na década de 70 o clube voltou a sobrar em Minas Gerais. Em 1971, comandado pelo mestre Telê Santana, o alvinegro conquistou a primeira edição do Campeonato Brasileiro sobre o Botafogo. O gol do título foi marcado por Dadá Maravilha.

Quem também fez sua estreia pelo Galo nessa década foi Reinaldo, o maior artilheiro da história do clube começou a brilhar nos anos 70 e em 1977 levou o alvinegro até a final do Campeonato Brasileiro. Além de ser um grande jogador, o Rei também sempre foi um ferrenho opositor da ditadura militar que assolava o Brasil desde 1964.

Ele sempre comemorava seus gols com o punho cerrado. Por conta disso, foi vitima de uma manobra que o tirou da final do torneio por conta de uma suspensão cumprida ainda na primeira fase. Sem seu principal jogador, o Galo acabou derrotado nos pênaltis pelo São Paulo e se tornou o primeiro e único vice-campeão invicto do Campeonato Brasileiro.

Galo mandando em Minas nos anos 80

Já no final dos anos 70, o Atlético voltou a ser hegemônico no futebol mineiro, conquistou o estadual em 76 e em 1978 iniciou uma sequência de títulos que só terminou em 1983. Os anos representam um dos melhores momentos da história do clube que contava com grandes jogadores como João Leite, Luisinho, Nelinho, Toninho Cerezo, Reinaldo e Éder Aleixo. Não à toa, todos com passagens pela Seleção Brasileira. Em Minas Gerais o Galo sobrou, conquistando os Mineiros de 1980, 1981, 1982, 1883, 1985, 1986 e 1989.

Éder Aleixo. Foto: Bruno Cantini / Atlético-MG

No Brasil, o Atlético foi injustiçado, mais uma vez chegou a final do Campeonato Brasileiro 1980 e se viu vítima de uma manobra para que o Flamengo decidisse a final em casa. O Galo venceu a ida por 1×0 no Mineirão e ia empatando em 2×2 no Maracanã até ter Reinaldo expulso de forma injusta. Sem seu melhor jogador em um Maraca abarrotado e contra o Fla de Zico, o Galo acabou derrotado por 3×2 e ficou sem o título.

O segundo lugar no Brasileiro rendeu ao Atlético uma vaga na Copa Libertadores da América, dono de um esquadrão, o clube era ao lado do Flamengo o favorito ao título. Quis o destino que os dois clubes se encontrassem nas oitavas de final da competição. Após vencer no Mineirão e ser derrotado no Maracanã, uma terceira partida em campo neutro foi marcada.

O Jogo do Serra Dourada é um dos maiores assaltos da história do futebol, o árbitro José Roberto Wright expulsou 5 jogadores atleticanos e o clube acabou eliminado por W.O.

Além das doídas derrotas para o Fla em 80 e 81, o Galo ainda chegou na semifinal do Brasileiro de 85, quando acabou eliminado para o Coritiba após o goleiro do Coxa tirar uma bola do Galo de dentro do gol e novamente para o Flamengo em 1987, quando tinha uma das melhores campanhas da competição.

Década de 1990 e títulos internacionais

Os anos 90 não foram generosos com o Atlético, o clube chegou quatro vezes nas semifinais do Brasileiro e acabou eliminado em todas elas. O Campeonato Mineiro só foi conquistado em 1991 e em 1999.

Apesar disso, o Galo venceu duas vezes a Copa Conmebol, uma em 1992, quando derrotou o Olímpia e outra em 1997 quando derrotou o Lanús. O clube ainda chegou na final da edição de 1995, mas acabou derrotado pelo Rosário Central mesmo tendo vencido o primeiro jogo em Belo Horizonte por 3×0.

Copa Conmebol 1997
Atlético Mineiro da volta olímpica após ganhar a Copa Conmebol 1997

Em 1999 a torcida ainda chegou a sonhar com o bicampeonato brasileiro, quando o time mesmo com uma campanha fraca na primeira fase conseguiu se classificar para o mata-mata e chegar até a final, onde acabou derrotada pelo Corinthians.

Anos 2000 e o rebaixamento

O início de um novo século parecia ser o que o Atlético precisava para se colocar novamente como um dos grandes protagonistas do futebol brasileiro e ao conquistar o bicampeonato Mineiro em 2000, os ventos pareciam soprar a favor do clube. Mas, em 2001, o Atlético com uma grande equipe acabou surpreendentemente eliminado para o São Caetano nas semifinais do Campeonato Brasileiro.

Depois disso, foram anos brigando contra o rebaixamento até que em 2005 o clube finalmente acabou rebaixado para a segunda divisão. Mesmo no pior momento de sua história, a Massa Atleticana jamais abandou o clube, após o jogo contra o Vasco que decretou a queda, a torcida cantou o hino a plenos pulmões em uma belíssima demonstração de amor.

Na Série B de 2006, a torcida lotou o Mineirão e fez com o Galo, mesmo não estando na elite, tivesse a melhor média de público do Brasil. O alvinegro conquistou o título da Série B e voltou à elite em 2007. De volta a Série A, o Galo viveu maus bocados e sofreu com goleadas para o maior rival Cruzeiro, além de constantes brigar contra o rebaixamento.

Taça da Série B e volta para a elite nacional.

A melhor década da história do Atlético Mineiro

Em 2012, o clube conquistou o Campeonato Mineiro de forma invicta e dava sinais de que estava pronto para ser protagonista novamente, reforçado por ninguém menos que Ronaldinho Gaúcho, o Atlético foi vice-campeão brasileiro e conseguiu retornar a Copa Libertadores depois de 12 anos longe do torneio mais importante do continente.

Um ano mágico: assim foi 2013 para o torcedor atleticano, que viu Ronaldinho, Victor, Tardelli e Leonardo Silva brilharem nos gramados da América do Sul para levar o Galo a conquista inédita da Libertadores.

No embalo do título de 2013, o Atlético ainda conquistou a Copa do Brasil eliminando Palmeiras, Corinthians e Flamengo, até derrotar seu grande rival Cruzeiro, na final. Em 2015 e 2016 o clube seguiu protagonista no futebol brasileiro, mas acabou batendo na trave e foi vice-campeão brasileiro em 2015 e vice da Copa do Brasil em 2016.

Depois do sucesso na primeira metade da década de 2010, o Atlético entrou em decadência, mesmo com um time recheado de estrelas como Robinho e Fred, o clube teve uma temporada decepcionante em 2017 e acabou fora da Libertadores pela primeira vez desde 2013. Em 2018 e 2019 o clube estava em uma série crise financeira e tentava se reconstruir com um orçamento limitado. Por conta disso, protagonizou eliminações patéticas na Copa Libertadores e na Copa Sul-americana.

Década de 2020 e um Galo protagonista

Em seguida, 2020 começou com muita expectativa para o Atlético, que depois de muito tempo começava a investir para capacitar seu elenco, mas uma eliminação na Copa do Brasil para o modesto Afogados, parecia colocar fim ao sonho de um clube protagonista.

Apesar disso, o que aconteceu foi o oposto, vendo a situação em que o Galo se encontrava, quatro torcedores milionários passaram a injetar dinheiro no clube, que sob o comando do badalado treinador Jorge Sampaoli, terminou o Brasileirão em terceiro lugar a apenas 3 pontos do campeão Flamengo.

Após ter batido na trave em 2020, os torcedores do Galo estavam esperançosos para a temporada de 2021. O clube havia reforçado a ótima equipe montada por Jorge Sampaoli com o atacante Hulk e o meia Nacho Fernandez. Sampaoli deixou o Atlético e com isso, uma lacuna se criou no banco de reservas atleticano.

A mágica temporada 2021 para os atleticanos

O escolhido para comandar a equipe em 2021 foi Cuca, comandante do título da Libertadores em 2013. Apesar do histórico vitorioso, o nome do treinador foi rejeitado por muitos torcedores por conta de uma condenação de estupro na década de 80. Não bastassem as polêmicas extra campo, o trabalho de Cuca começou com um derrota por 1×0 para o Cruzeiro, que na segunda divisão vivia o pior momento de sua história.

Mesmo com a pressão aumentando, a diretoria atleticana optou por manter o treinador e ele liderou o Atlético para a melhor campanha do clube na fase de grupos da Libertadores, além de conquistar o título do Campeonato Mineiro.

Quando o Brasileirão começou, o Galo tropeçou nas primeiras rodadas e viu novamente a pressão aumentar, mas equipe se recuperou e arrancou de forma impressionante para conquistar um título que não vinha a 50 anos. Além de conquistar o Brasileiro em 2021, o alvinegro ainda ganhou o bicampeonato da Copa do Brasil ao vencer o Athletico Paranaense de forma arrasadora na final: 4×0 em BH e 2×1 em Curitiba.

Copa do Brasil 2021
Galo campeão da Copa do Brasil. Foto: Lucas Figueiredo / CBF
você pode gostar também
Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.

Flamenguistas Não Aguentam E Rejeitam Ídolo Do Atlético-MG Saiba Em Quais Jogos Guilherme Arana Deve Desfalcar O Galo Craque Internacional Deixa O Atlético-MG Na Mão E Se Oferece Para Rival Aceitaria De Volta? Ídolo Do Atlético-MG Está Sem Clube E Pode Voltar De Graça Cuca, Jesus Ou Outro? Torcida Do Galo Elege Favorito Para Substituir El Turco