Opinião: Chegadas e saídas mostram Atlético-MG em correção de rota

0

O Atlético-MG chegou para a temporada de 2022 como atual campeão brasileiro e da Copa do Brasil, sendo apontado por muitos como um dos favoritos a todos os títulos que disputa. Apesar disso, por conta de sua situação financeira delicada, o clube se viu obrigado a abrir mão de algumas peças.

Ainda em dezembro, o técnico Cuca anunciou sua saída e Júnior Alonso foi negociado com o Krasnodar, da Rússia. Já em janeiro, Diego Costa acertou sua rescisão de contrato com o Galo. Nesse meio tempo Alan Franco também deixou Belo Horizonte e foi emprestado ao futebol dos Estados Unidos.

Depois de várias negociações frustradas e muita dificuldade em achar um bom nome para substituir Cuca, Antonio Mohamed foi contratado como novo treinador. Para repor as saídas o Atlético trouxe Diego Godín, Fábio Gomes e Ademir. Já com a temporada em andamento, o alvinegro ainda se viu obrigado a negociar Savarino e perdeu Tchê Tchê, que teve seu contrato de empréstimo encerrado.

Nos primeiros jogos da temporada El Turco optou por rodar o elenco para que todos os atletas chegassem com ritmo de jogo para decisão da Supercopa do Brasil, contra o Flamengo. Em um confronto equilibrado, o Galo venceu o Fla nos pênaltis e ficou com o troféu. No estadual, o título foi conquistado de forma tranquila sobre o grande rival Cruzeiro.

As estreias no Campeonato Brasileiro e na Copa Libertadores também vieram da melhor forma possível, com o time vencendo ambas partidas. Já na segunda rodada da competição continental, veio o primeiro deslize na temporada: o empate em 1×1 com o América-MG dentro de casa. Depois disso, o clube ainda sofreu com desfalques por lesões e convocações.

Vieram então os tropeços contra Coritiba, Goiás, América-MG e Bragantino, a equipe que no ano anterior era tão regular no Brasileiro, ia perdendo pontos para equipes da parte de baixo da tabela. Muitos torcedores jogaram a culpa no técnico Antonio Mohamed, que para eles, havia destruído o trabalho deixado por Cuca.

Com El Turco já pressionado, o Galo conseguiu se se classificar em primeiro lugar no seu grupo na Copa Libertadores (mesmo perdendo para o Tolima na última rodada) e para as oitavas da Copa do Brasil. No Brasileiro, a equipe oscilava, fazendo bons jogos contra Palmeiras e Avaí, mas sendo goleada pelo Fluminense e empatando com Santos e Ceará, chegando a ficar quatro jogos sem vencer no torneio.

Embora o trabalho de Antonio Mohamed mereça algumas criticas, ele não é o único culpado pelas oscilações vividas pelo Atlético na temporada. O elenco tão numeroso em 2021, foi enfraquecido, como mostrado em levantamento feito pelo Portal do Atleticano. Além disso, as peças contratadas não conseguiram repor a altura as saídas.

Diego Godín, experiente zagueiro, com passagens por Atlético de Madrid e Inter de Milão, além de três Copas do Mundo pela Seleção do Uruguai, não foi a sombra do jogador que outrora fora. Já com idade avançada e sofrendo com problemas físicos, quando foi utilizado, o uruguaio não se mostrou uma peça confiável e acabou perdendo espaço com o retorno de Júnior Alonso.

Fábio Gomes, contratado como uma aposta da diretoria depois de uma boa temporada pelo NY RedBull, também não se mostrou apto à vestir a camisa do Atlético. O centroavante não conseguiu substituir Diego Costa e nem mesmo chegou a virar uma alternativa no banco, sendo preterido por Mohamed em muitos momentos.

Ademir, que vinha de ótima temporada pelo América, começou o ano como reserva, mas sendo peça importante, sempre fazendo gols importantes, como o da vitória no clássico contra o Cruzeiro e muitos torcedores chegaram a pedir sua presença no time titular. Apesar disso, quando ele teve suas chances entre os 11, não correspondeu.

Alonso, que era titular em 2021 rapidamente retomou seu lugar na equipe e vem sendo peça importante para Antonio Mohamed. Otávio talvez tenha sido quem teve menos chances, visto a concorrência de Allan e Jair, mas sempre que entrou correspondeu à altura.

No fim da tarde de ontem o Atlético anunciou a saída de Diego Godín depois de apenas 9 jogos e 1 gol marcado. Poucos minutos depois o clube também anunciou a contratação do zagueiro Jemerson, visto como uma reposição à saída do uruguaio.

O Galo também se aproxima da contração do centroavante Alan Kardec e segundo o jornalista Heverton Guimarães, Fábio Gomes pode ser emprestado nos próximos dias. Cristian Pavón, atacante do Boca Juniors, também chega assim que a janela abrir e surgem relatos de uma possível negociação do Atlético com o atacante Pedrinho, atualmente no Shakhtar Donetsk.

É importante ressaltar que caso não tivesse vencido o Flamengo no último domingo (19), o Atlético também estaria à procura de um novo treinador. A atuação alvinegra no mercado mostra que o planejamento para temporada de 2022 foi equivocada e que o clube está em clara correção de rota.

Os dirigentes atleticanos por diversas vezes se gabaram de terem conseguido manter a base do time multicampeão de 2021, mas para o fazer, acabara enfraquecendo seu elenco. Após a vitória contra o Fla, Antonio Mohamed destacou que uma equipe é um conjunto de individualidades, que quando afloradas, fortalecem o coletivo.

 O futebol é um jogo coletivo, de equipe, mas que depende de individualidades. Hoje tivemos as individualidades lá em cima e por isso a equipe estava lá em cima. O mais importante é manter essa intensidade e esse nível individual, essa competência interna do time para poder ter esse nível. 

Antonio Mohamed

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.

Flamenguistas Não Aguentam E Rejeitam Ídolo Do Atlético-MG Saiba Em Quais Jogos Guilherme Arana Deve Desfalcar O Galo Craque Internacional Deixa O Atlético-MG Na Mão E Se Oferece Para Rival Aceitaria De Volta? Ídolo Do Atlético-MG Está Sem Clube E Pode Voltar De Graça Cuca, Jesus Ou Outro? Torcida Do Galo Elege Favorito Para Substituir El Turco